sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Resenha: Para todos os garotos que já amei #1




“Entre irmãs, um pacto é tudo.”


A segunda integrante do trio Suan nome dado pelas próprias irmãs, Lara Jean é uma menina doce, tímida, sonhadora. Ela vive com suas irmãs Margot que sendo a mais velha cuida de todos na casa.

Sua mãe morreu quando elas ainda eram muito jovens e Margot, Lara, Kitty e seu pai tiveram que seguir a vida sem ela. Todos levam uma vida tranquila sem grandes mudanças ou aventuras o que Lara acha ótimo, até que Margot decide cursar a faculdade na Escócia, terminar o relacionamento com o Josh e consequentemente deixar para Lara Jean o papel de cuidar da casa, e agora?

Bom, ela resolve encarar numa boa afinal o que de pior poderia lhe acontecer?

Até que uma caixa de azul-petróleo que ganhou da mãe desaparece. Mas não se trata de uma caixa de chapéu qualquer, nela são guardadas suas cartas de amor, não cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou, cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara nunca se imaginou dizer a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.

Agora imagine se algum dia essas cartas secretas misteriosamente em algum dia fossem enviadas aos destinatários?

É exatamente isso que acontece galera e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo incontrolável e ela se ver dívida entre a lealdade para com sua irmã Margot, as mil e uma peripécias armadas para não bater de frente com Josh que além de ser ex da sua irmã, recebeu também uma carta.
A descoberta do primeiro e sem sombra de dúvida mais puro e verdadeiro amor e tudo que uma adolescência tende a nos oferecer.

Foi sem sombra de dúvidas a história mais clichê, água com açúcar que gostei de todos os tempos.
Jenny Han consegue retratar perfeitamente a linguagem, a visão, os sentimentos e pensamentos de uma garota com apenas dezesseis anos.

Para todos os garotos que já amei é o primeiro volume da trilogia e pode apostar que lerei as outras.

Preparem-se para uma leitura leve, simples, romântica e até mesmo em alguns determinados
momentos, pura Jenny Han merece sem dúvida os parabéns.


Até a próxima.